sábado, 27 de janeiro de 2018

NOTA DE ESCLARECIMENTO SISMEPE



A Polícia Militar de Pernambuco esclarece a família militar (PM e BM) que a imunização contra a febre amarela no serviço de vacinação do Centro Médico Hospitalar da Corporação (CMH) segue os critérios preconizados pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, bem como pela Secretaria Estadual de Saúde. 
Sendo assim, baseada nas informações sobre indicação e contra indicações da vacinação para a febre amarela, o entendimento da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do CMH, a vacinação só deve ser indicada às pessoas com viagem marcada, comprovadamente, para as áreas de risco.
DOENÇA – A Febre Amarela é uma doença febril aguda, transmitida somente pela picada de mosquitos transmissores infectados. O diagnóstico das formas leve e moderada é difícil, não existindo tratamento específico no combate à febre amarela. Portanto, a principal forma de prevenção é a vacinação.


domingo, 14 de janeiro de 2018

EMERGÊNCIA CMH UTILIZA PROTOCOLO MANCHESTER PARA MELHORIA DO ATENDIMENTO


Atualmente um dos problemas enfrentados pelas emergências dos hospitais  diz respeito ao grande número de pessoas que procuram o serviço. O aumento da demanda está relacionado com a expansão dos centros hospitalares e tem ocasionado um verdadeiro congestionamento de pacientes nos serviços de pronto atendimento. Desta forma, com o objetivo de tornar mais eficiente e ágil o atendimento, em 2011 o Protocolo Manchester passou a ser utilizado no Brasil como um processo de classificação de pacientes através do uso de cores, permitindo definir rapidamente a situação de saúde de cada paciente e priorizar os de maior gravidade, estabelecendo o tempo de espera conforme a cor recebida pelo usuário, como nos mostra o quadro abaixo:



O Protocolo já encontra-se sendo utilizado pela emergência do CMH e tem possibilitado uma pronta resposta do serviço aos casos de maior gravidade. O usuário ao chegar no hospital, após preencher a ficha de atendimento na recepção, é encaminhado ao serviço de classificação de risco. No local, o paciente será atendido por um enfermeiro que irá fazer a classificação conforme regras estabelecidas pelo Protocolo de Manchester. Em seguida, o paciente receberá atendimento médico, priorizando os mais graves de acordo com a cor recebida no serviço de classificação. Vale lembrar que os casos classificados como verde ou azul o tempo de espera pode chegar a 240min.

sábado, 16 de dezembro de 2017

HOSPITAL INFANTIL DO CMH TEM AMBIENTES MAIS HUMANIZADOS


Os usuários do SISMEPE agora podem contar com um novo espaço destinado ao atendimento de crianças que precisam de internamento hospitalar no Centro Médico Hospitalar da PMPE. O HOSIN (hospital infantil) como é conhecido, passou por uma ampla reforma, levando aos usuários maior conforto e acolhimento.

O HOSIN ganhou um novo espaço recreativo onde as crianças podem brincar enquanto recebem o tratamento médico adequado. Suas dependências foram totalmente climatizadas possibilitando um ambiente mais acolhedor e humanizado.

Os trabalhos duraram três meses e durante este período o setor contou com a pintura das paredes, manutenção da rede elétrica, reforma dos banheiros, revisão e instalação de ar-condicionados. Vale salientar, que durante  a reforma, o atendimento não foi prejudicado.   


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

CMH DISPONIBILIZA CONSULTA MÉDICA PARA ADOLESCENTES


Centro Médico da PMPE oferece aos usuários atendimento médico voltado para a saúde do adolescente. A especialidade é conhecida como "HEBIATRIA" ou Medicina do adolescenteA hebiatria é uma especialização da pediatria, ou seja, o médico precisa primeiro ser um pediatra. O hebiatra é um clínico geral de adolescentes, com uma visão global do indivíduo que se encontra com a idade entre 12 a 18 anos. O CMH possui atualmente dois médicos hebiátras (Dra. Ângela e Dr. Noberto) que encontram-se a disposição dos adolescentes que precisam de uma consulta médica. Para ter acesso ao serviço, os interessados devem acessar a página do SISMEPE e marcar a consulta. Devido ao pouco conhecimento da clientela a respeito da especialidade o número de adolescentes atendidos atualmente é pequeno, chegando a sobrar vagas de consulta. Aproveite mais esse serviço SISMEPE para cuidar da saúde do seu jovem.





domingo, 8 de outubro de 2017

EQUIPE DE GINECOLOGIA DO SISMEPE COMEMORA SUCESSO DO MUTIRÃO DE CIRURGIAS


A equipe de Ginecologia do SISMEPE, formada pelos oficiais médicos Cap. Mariana Nunes, Cap. Marieta Galindo, Cap. Mauro Aguiar, 1º Ten Viviane Selva e 2º Ten Felipe Rocha, comemora o sucesso do mutirão de cirurgias realizadas com o objetivo de diminuir a fila de espera, formada por mulheres que aguardavam por um procedimento cirúrgico. Graças ao empenho desses profissionais e da  equipe de enfermagem, foram realizadas no hospital da PMPE 107 cirurgias ginecológicas durante os meses de julho e agosto, sendo:

21 Histerectomias abdominais
05 Videolaparoscopias
01 Miomectomia
01 Histerectomia vaginal
05 Laparotomias exploradoras
09 Implantes de DIU de Levonorgestrel
02 Exereses de granuloma de ferida operatória
01 Marsupialização de glândula de Bartholin
56 Histeroscopias cirúrgicas
05 Histeroscopias diagnósticas
01 Exerese de granuloma de cúpula vaginal

A Diretoria de Saúde, em conjunto com os demais centros que compõem o SISMEPE, informam que estão trabalhando para que novas ações sejam colocadas em prática objetivando, cada vez mais, melhorar os serviços prestados pelo sistema de saúde.

 

sábado, 15 de julho de 2017

CENTRO MÉDICO HOSPITALAR REALIZA MUTIRÃO DE CIRURGIAS GINECOLÓGICAS


Atualmente, as mulheres  usuárias do sistema de saúde da PMPE aguardam um ano e meio para realização de uma cirurgia ginecológica, devido ao grande número de pacientes na fila de espera. 
Para amenizar a situação, a Diretoria de Saúde - com o apoio do DASIS, Centro Médico Hospitalar e Centro Farmacêutico - iniciou nesta segunda-feira, 03 de julho de 2017, um mutirão de cirurgias.
Essa iniciativa promete melhorar significativamente a qualidade de vida dessas pacientes, as quais, por motivos de saúde, encontravam-se afastadas de suas atividades profissionais. Esse projeto é mais uma vitória para as famílias de militares do Estado de Pernambuco. 
A equipe cirúrgica, composta pela CAP Mariana Nunes, CAP Marieta Galindo, CAP Mauro Aguiar, 1° TEN Viviane Selva e o 2° TEN Felipe Rocha, tem como meta a realização de 100 cirurgias entre histerectomias, laparotomias e histeroscopias.
De acordo com o Diretor de Saúde, Cel Sildo Romero, outros mutirões devem acontecer até o fim do ano, em especialidades como oftalmologia, urologia, cirurgia geral e ortopedia.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

SISMEPE, MEU FILHO TEM DIREITO?


Para muitos policiais a resposta a esta pergunta é bastante simples pois, de forma objetiva, os filhos e esposa possuem o direito de usufruírem dos serviços de saúde da PMPE, quando devidamente cadastrados. Porém, a realidade tem surpreendido muitos policiais militares no momento da utilização do plano por algum filho, isto porque existem normas que disciplinam o direito dos dependentes ao SISMEPE, principalmente com relação a idade. A matéria encontra-se disciplinada no art. 10 da Lei 13.264, de 29 de junho de 2007, que cria o Sistema de Saúde dos Militares do Estado de Pernambuco, conforme se segue:

Art. 10. Poderão ser beneficiários do SISMEPE, na condição de beneficiários dependentes do titular e a ele vinculados:
I - o cônjuge ou companheiro na constância, respectivamente, do casamento ou união estável;
II - os filhos solteiros, menores de 18 (dezoito) anos;
III - os filhos solteiros, quando estudantes universitários, até completar os 25 (vinte e cinco) anos, desde que, comprovadamente, não exerçam qualquer atividade remunerada e vivam, exclusivamente, às expensas do beneficiário titular;
IV - o filho inválido ou interdito, consoante atestado de invalidez expedido por Junta Militar de Saúde ou sentença decretando a interdição, considerando-se a data em que foi protocolado o respectivo processo administrativo ou judicial, conforme o caso, para efeito da não incidência dos limites de idade previstos nos incisos II e III deste artigo;
V - o enteado ou tutelado, desde que não possua meios suficientes para o próprio sustento, observadas as condições de que tratam os incisos II e III deste artigo;
VI - os pais, sem rendimentos próprios, que vivam, exclusivamente, às expensas do beneficiário titular, desde que devidamente comprovado.
§ 1º A comprovação da qualidade de dependente das pessoas indicadas nos incisos I e II é presumida, enquanto a das demais será comprovada na forma do Regulamento

Desta forma, o beneficiário dependente, na qualidade de filho, poderá ser atendido nos centros de saúde da PMPE, desde que esteja dentro dos limites de idade colocados acima. Situação diferente do estabelecido, de forma automática, faz com que o sistema bloqueie o dependente, impossibilitando seu atendimento. Infelizmente, alguns policiais militares, tem se deparado com a suspensão do plano SISMEPE do filho e este fato, muitas vezes, tem acontecido por displicência do próprio policial que não esteve atento as normas do plano. Diariamente, policiais militares procuram socorro na administração do DASIS e CMH, na busca de autorização para o atendimento de um filho, após serem surpreendidos pela negativa de uma consulta ambulatorial ou de emergência. Com fulcro de evitar fatos desta natureza, o policial deve estar atento as normas SISMEPE e em caso de dúvida procurar a central de relacionamento, através do número (81) 3181-1600. Outra forma de saber a situação dos beneficiários é por meio do Site SISMEPE, seguindo a sequência:

SITE SISMEPE - MEU SISMEPE - LOGIN -DEPENDENTES


Em dependentes, o policial militar terá acesso a relação de beneficiários e situação cadastral dos mesmos. Evite surpresas e fique por dentro do seu plano de saúde.